Buscar
  • Rômulo Andrade

BIOGRAFIA

Atualizado: Mai 25

Ao longo de quarenta anos, Rômulo desenvolve em sua obra uma precoce abordagem poética dos Cerrados, a natureza única do Brasil central. Nascido em Niterói em 1954, viveu a infância e juventude entre o Rio e São Paulo até mudar-se para Brasília em 1975. Aqui gradua-se em Artes plásticas na Universidade de Brasília e logo integra-se ao movimento de Educação através da Arte, atuando em centros culturais e diversas escolas públicas do DF. Aprimora sua formação em arte nas oficinas do Centro de Criatividade/ 508 Sul, onde convive com uma geração importante de mestres brasileiros e de jovens artistas. Na sequencia colabora com diversos coletivos de artistas da ‘contracultura’ candanga.

Participa desde o início da galeria Cabeças, movimento cultural que contribui decisivamente para a afirmação de identidade da jovem metrópole. Integra desde meados dos anos 80 o movimento Artistas pela Natureza, promovendo ações educativas, artísticas num projeto político de Educação Integral e Ambiental. Foi um dos criadores da campanha Cerrado Sempre Vivo através do IEMA, Instituto de Meio Ambiente do Distrito Federal no período de 1989 a 1994. É de sua autoria a conhecida expressão “Cerrado: Berço das Águas”, mote para uma extensa campanha de comunicação e educação ambiental com o mesmo nome, essa mensagem que a partir de então se torna recorrente em todo o país.


Com um extenso currículo como artista visual – desenhista, gravurista, pintor, designer gráfico, poeta e fotógrafo, realizou dezesseis exposições individuais e participa de dezenas de coletivas e eventos de arte no Brasil e no exterior a partir de 1977.

Participa como artista convidado de uma Expedição amazônica, Humboldt – Amazônia 2000, ao longo de dois meses com pesquisadores do Núcleo de Estudos Amazônicos da UnB. A partir dessa longa viagem realizou três exposições individuais e a edição de dez vídeos educativos, todos disponíveis no youtube. Foi professor da Secretaria de Educação do Distrito Federal, atuando como arte-educador em projetos de educação e alfabetização de adultos pelo método Paulo Freire e desenvolvendo um programa de Oficinas de arte, cidadania e cultura para jovens e adultos. Coordena ao longo dos anos 90, oficinas de arte no Espaço Cultural 508 Sul.


Estudou desenho e linguagem visual com Luiz Áquila. Na UnB com Douglas Marques de Sá, Cathleen Sidki. No Cresça com Lourenço de Bem e Glênio Bianchetti. Fez gravura em metal com Rossini Perez. História da arte com Grace Freitas e Fayga Ostrower. Conviveu de perto com o mestre Athos Bulcão de quem foi vizinho e amigo próximo por alguns anos. Aprendeu, guarda consigo e leva adiante essa mensagem de uma arte brasileira e universal.

Atuou também como designer gráfico. Nos anos 80, criou os pictogramas do projeto de sinalização da Rede SaraH. Ao longo da carreira, colaborou em publicações da Fundação próMemória, CNPq, IPHAN, Casa de Cultura da América Latina, Secretaria do Meio Ambiente do DF, Instituto Brasília Ambiental, ANA - Agência Nacional de Águas, Esquadrão da Vida entre outras instituições, além de ilustrar livros, cartazes e criação de peças gráficas para eventos e movimentos artísticos.


Utiliza em seu trabalho diversas técnicas e suportes – além de telas, papel feito à mão, lonas de grande formato; gosta de reutilizar madeiras nobres e materiais impregnados pelo tempo; objetos de metal oxidado; pesquisa e prepara as tintas que utiliza com pigmentos minerais. Não é um artista voltado pro mercado de arte, por isso encarou o desafio de contribuir com a Educação pública. De suas obras emana uma certa ancestralidade que remete a mitos ameríndios e a antigos sítios arqueológicos. Seus trabalhos integram o acervo do Museu de Arte de Brasília, do Museu de Arte de Santa Catarina, do Museu Vivo da Memória Candanga e da Fundação Athos Bulcão, além de outras instituições e

coleções particulares.


EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

2012 Memória das Águas – Sede da Agência Nacional de Águas, Brasília

2007 A Floresta-Dentro – Casa da Cultura da América Latina, Brasília

2006 A América de Yupanqui – Pinturas Ameríndias – Casa Thomas Jefferson, Brasília

2004 A Poética do Cerrado – Jardim Botânico de Brasília

2003 Rômulo Andrade – Pinturas e Objetos – Memorial das Idades do Brasil, Brasília

2001 A poética do Cerrado – Centro de Convenções, Brasília

1999 Cristãos abraçando Mouros – Casa do IPHAN, Pirenópolis, GO

1998 Nossa Etnia – Espaço Daniel Briand, Brasília

1998 Pra Iluminar a Cidade – Referência Galeria de Arte, Brasília

1996 Jaguanum – Desenhos e Objetos – Espaço Daniel Briand, Brasília

1993 Rômulo Andrade – Desenhos e Gravuras – Ah haa! School of Arts,

Telluride, Colorado, EUA

1991 Conexões Mágicas – Desenhos e Pinturas – ECT Galeria, Brasília

1987 Rômulo Andrade – Gravuras – Senado Federal, Brasília

1983 Rômulo Andrade – Desenhos e Trabalhos Gráficos – Biblioteca da UnB

1980 Noturnos – Desenhos – Galeria Parnaso, Brasília

1977 O Sol do Novo Mundo – Desenhos – Aliança Francesa, Brasília


PRINCIPAIS EXPOSIÇÕES COLETIVAS

2016 Artistas pelo Cerrado – Movimento Artistas pela Natureza, Jardim Botânico de Brasília

Armadilhas Indígenas – Memorial dos Povos Indígenas, Brasília

Trilha Krahô – coletivo de intervenções na paisagem no Jardim Botânico de Brasília

2015 O Papel do Museu – Museu Nacional da República, Brasília

Portal do Cerrado – Aeroporto Internacional de Brasília

2013 Encontro da Águas – Museu Nacional da República e Jardim Botânico, Brasília

2010 Pegando a Teia – Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura – Fortaleza, CE

Semicírculo – Museu Nacional da República, Brasília

Prazer de Pintura – Galeria Fayga Ostrower, Brasília

2009 IV Festival de Cultura Popular – Funarte, Brasília

2008 Nem é Erudito nem é Popular – Museu Nacional da República, Brasília

Caixa-Obra – Espaço Cultural 508 Sul, Brasília

Tombo – Espaço Contemporâneo ECCO, Brasília

2007 MAB Móbile – Museu Nacional da República, Brasília

2006 Museu Aberto dos Caminhamentos do Sertão – Foyer do Teatro Nacional, Brasília

2005 Brasília Fora do Quadro – Museu de Arte de Brasília

2003 O Melhor de 30 – Memória Visual de Brasília – Conjunto Nacional de Brasília

Totens – Intervenções – Foyer do Teatro Nacional, Brasília

2002 O Múltiplo Gesto Criador – Centro Cultural Brasil-Espanha, Brasília

2001 Escultores do DF – Galeria Athos Bulcão, Brasília

1996 Das Águas – Movimento Artistas pela Natureza, Espaço Cultural 508 Sul, Brasília

1995 Gente que ama Brasília – Estufa Fria – Lisboa e Guimarães, Portugal

1994 Artistas pintam no Botânico – Jardim Botânico de Brasília

O Tao do Cerrado – com Bené Fonteles e Luiz Gallina, Espaço Cultural 508 Sul, Brasília

Natu-Rezas – com Bené Fonteles, Luiz Gallina e Rui Faquini, Galeria da Funarte, Brasília

II Congrés per l’Estudi dels Estats Modificats de Consciência, Lleida, Catalunya

1993 Papel Novamente Papel (I) – Museu Vivo da Memória Candanga, Brasília

Papel Novamente Papel (II) – Galeria Rubem Valentim, Brasília

1992 Projeto Omame – Teatro Nacional, Brasília; Fórum Global, Rio de Janeiro

Viva Ianomâmis Vivos – Conjunto Cultural da Caixa, Brasília

Natureza Viva – Conjunto Cultural da Caixa, Brasília

1991 25 Artistas – Galeria Athos Bulcão, Brasília

I Encontro Holístico – Belo Horizonte, MG

Arte, o Eterno Reciclar – Instituto Histórico, Brasília

O Olhar da Nova Era – Hotel Glória, Rio de Janeiro

1990 Armadilhas Indígenas – INAP/Funarte, Rio de Janeiro

1988 Arte no Cerrado – Artistas do Centro-Oeste – Casa Cultura, Cuiabá, MT

1987 Levante Centro-Oeste – Teatro Nacional, Brasília

Gravura Brasiliense – Galeria Itaú, Brasília

Artistas pela Natureza – Teatro Nacional, Brasília

1986 Projeto JK Trilha Aberta – Museu de Arte de Brasília

Coletiva de Gravadores – Brasília, Guadalajara e Cidade do México

1985 Cadê o Verde que tava Aqui? – Fundação Cultural do DF, Brasília

1983 Resumo 83 – Jovens Artistas de Brasília – Galeria Itaú, Brasília

Desenhos – com Luis Gallina, Centro de Arte Homero Massena, Vitória, ES

1981 Artistas Brasileños – Casa do Brasil, Madrid

3° Mostra do Desenho Brasileiro – Curitiba, PR

1979 I Salão de Desenho e Gravura – Funarte, Brasília

Grande Circular, Coletivo de Artes Visuais – Galeria A, Fundação Cultural DF

Acervo Funarte – Galeria Rodrigo Mello Franco, Rio de Janeiro


PUBLICAÇÕES E EDIÇÕES DE ARTE

1991 Orquidário do Cerrado - coleção de desenhos em postais

2010 Expedição Humboldt – direção de arte da coleção de vídeos com Renato Barbieri

2010 Memória das Águas - video com suas obras na Expedição Humboldt




12 visualizações

FALE COM O ARTISTA

Cel: (61) 981317105

Email: memoriadasaguas@gmail.com