O ARTISTA

       A trajetória do artista começa em Niterói, seu berço de origem, em março de 1954. Viveu a infância em Jacarepaguá, Rio de Janeiro, no seio de uma família muito musical. A juventude com períodos entre Rio e São Paulo onde morou com seu pai e teve sua iniciação artística.

       Muda-se para Brasília em 1975 aos vinte anos, com uma caravana de jovens artistas. Participa do movimento de afirmação da identidade e da cultura brasiliense, representado pela galeria/ projeto Cabeças. Em 1985 forma-se em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Universidade de Brasília.

       Após a graduação continua convivendo com reconhecidos artistas brasileiros, o pintor Athos Bulcão de quem foi vizinho, Glenio Bianchetti e Lourenço de Bem. Aprimora-se no desenho, na gravura em metal e serigrafia, trabalhando profissionalmente como designer gráfico. Criou os pictogramas do projeto de sinalização do hospital SaraH, hoje uma rede implantada em oito capitais brasileiras.

       Participa ativamente do Movimento Artistas pela Natureza, um coletivo que luta em defesa do bioma Cerrado, dos rios brasileiros, dos territórios e direitos indígenas. Integra como artista convidado a Expedição Humboldt – Amazônia 2000, longa viagem científica com um grupo de pesquisadores, organizada pelo historiador Victor Leonardi através do Neaz - Núcleo de Estudos Amazônicos da UnB. Dessa viagem resultaram uma nova coleção de obras, três exposições de arte e a edição de dez vídeos educativos.

     

O Tao das Águas .jpg

EXPOSIÇÕES

            Como artista visual tem um currículo extenso, com mostras locais e  internacionais a partir de 1978. Durante cerca de  25 anos - 1976/2001 dedica-se a uma abordagem  poética dos sertões do Brasil,  focalizando especialmente a região dos Cerrados. É de sua autoria a expressão Cerrado: Berço das Águas, lançada numa campanha em 1991 e no poema cartaz que produziu em 1994, quando se tornou recorrente no imaginário brasileiro.

       Em seus trabalhos costuma utilizar materiais impregnados pelo tempo: madeiras nobres, metal, pigmento mineral sobre papel feito a mão, tela e lonas de grande formato. De suas obras emana certa ancestralidade que remete aos mitos ameríndios e sítios arqueológicos. Obras que dialogam com uma dimensão mais visionária e se aproximam dos povos aborígenes e selvagens do futuro. 

       Atualmente, Rômulo vive em uma chácara onde tem seu atelier de criação, aberto à visitas. 

Exposições Individuais

2012 – Memória das Águas – sede Agencia Nacional de Águas, Brasília

2007- A floresta-dentro – Casa de Cultura da América Latina, Brasília.                                                                                                        

2006 - A América de Yupanqui - Pinturas ameríndias - Casa Thomas Jefferson, Brasília. 

2004 - A poética do Cerrado - Jardim Botânico, Brasília.

2003 - Pinturas e objetos - Memorial das Idades do Brasil, Brasília.

2001 - A poética do Cerrado - Congresso de qualidade na Educação –

            Centro de Convenções, Brasília.

1999 – Cristãos abraçando Mouros, Casa do IPHAN, Pirenópolis, GO   

1998 - Nossa Etnia - Espaço Daniel Briand, Brasília

1998 - Pra Iluminar a Cidade - Referência Galeria de Arte, Brasília

1996 - Jaguanum, desenhos e objetos - Espaço Daniel Briand, Brasília

1993 - Desenhos e gravuras - Ah haa! School of Arts, Telluride, Colorado, USA

1991 - Conexões mágicas, desenhos e pinturas - ECT Galeria, Brasília

1987 - Gravuras - Anexo II do Senado Federal, Brasília

1983 - Desenhos e trabalhos gráficos - Biblioteca da UnB

1980 - Noturnos, desenhos - Galeria Parnaso, Brasília

1977 - O Sol do Novo Mundo, desenhos - Aliança Francesa, Brasília 

Principais Exposições Coletivas

2016 – O Papel do Museu, Museu Nacional da República, Brasília

           - Armadilhas Indígenas, Memorial dos Povos Indígenas, Brasília

           - Artistas pelo Cerrado, Jardim Botânico de Brasília

2015 – Portal do Cerrado, Aeroporto Internacional de Brasília

2013 – Encontro da águas – Museu da República e Jardim Botânico - Brasília

2010 – A Teia – Encontro dos Pontos de Cultura – Fortaleza  (CE)

         - Semicírculo – Mostra de Artistas – Museu Nacional – Brasília

         - Prazer de Pintura – Coletiva no niver Brasília + 50 – Gal. Fayga Ostrower

2009 – IV Festival de Cultura Popular – Funarte - Brasília

2008 - Nem é popular nem erudito - Museu Nacional do Conj. da República

         - Caixa-obra, Espaço Cultural 508 Sul, com curadoria de Bené Fonteles

  • Tombo - com Glênio Lima e 16 artistas - ECCO Espaço Contemporâneo

  • Utopia da Modernidade – Museu Nacional do Conj. da Republica

2007 - I Bienal de Brasília – Mostra de arte montada na UPIS

         - MAB Móbile - Museu Nacional do Conjunto Cultural da República  

2006 - Museu Aberto dos Caminhamentos do Sertão - Foyer do Teatro Nacional

2005 - Brasília fora do quadro - MAB, Museu de Arte de Brasília

2003 - O Melhor de 30 - Memória Visual de Brasília, Conjunto Nacional, Brasília

         - Totens – Intervenções - Foyer do Teatro Nacional, Brasília

2002 – O Múltiplo gesto criador - Centro Cultural Brasil - Espanha, Brasília

2001 - Escultores do DF - Galeria Athos Bulcão, Brasília

1996 - Das águas - Movimento Artistas pela Natureza, Espaço 508 Sul, Brasília

CLIPPING

1995 - Gente que ama Brasília – Estufa Fria - Lisboa e Guimarães, Portugal

1994 - Artistas pintam no Botânico - Jardim Botânico, Brasília.

         - O Tao do Cerrado - com Bené Fonteles e Luiz Gallina, Espaço Cultural 508

         - Natu-Rezas – com Bené, Luiz Gallina e Rui Faquini, galeria do MINC, Brasília.

         - II Congrés per l’estudi dels estats modificats de consciência, Lleida, Catalunya

1993 - Papel Novamente Papel I - Museu da Memória Candanga, Brasília

         - Papel Novamente Papel II - Galeria Rubem Valentim, Brasília

1992 - Projeto Omame - Teatro Nacional, Bsb e Fórum Global, praia do flamengo, Rio de Janeiro (RJ)

         - Viva Ianomâmis Vivos - Conjunto Cultural da Caixa, Brasília

         - Natureza Viva - Conjunto Cultural da Caixa, Brasília

1991 - 25 Artistas - Galeria Athos Bulcão, Brasília

         - I Encontro Holístico - Belo Horizonte (MG)

         - Arte, o Eterno Reciclar - Instituto Histórico, Brasília

         - O Olhar da Nova Era - Hotel Glória, Rio de Janeiro (RJ)

1990 - Armadilhas Indígenas, INAP-FUNARTE, RJ

1988 - Arte no Cerrado - Artistas do Centro-Oeste - Casa Cultura, Cuiabá

1987 - Levante Centro Oeste - Teatro Nacional, FCDF - Brasília

         - Gravura Brasiliense - Galeria Itaú, Brasília

         - Artistas pela Natureza - Teatro Nacional, Brasília

1986 - Projeto JK, Trilha Aberta - MAB, Museu de Arte de Brasília

         - Coletiva de Gravadores - Brasília, Cidade do México e Guadalajara

1985 - Cadê o verde que tava aqui? - FCDF, Brasília

1983 - Resumo 83 - Jovens Artistas de Brasília, Galeria Itaú, Brasília

         - Desenhos - com Luis Gallina, Centro de arte Homero Massena, Vitória (ES)

1981 - Artistas Brasileños - Casa do Brasil, Madrid 

         - 3° Mostra do Desenho Brasileiro - Curitiba (PR)

CLIPPING